Home Office é a melhor prática para redução de custos nas empresas?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique e Veja o Vídeo

 

 

Muitos clientes com grande quadro de profissionais têm me perguntado sobre a viabilidade de adotar o trabalho em home office (total ou parcialmente) como uma forma de redução de custos.

 

Recentemente fiz um estudo detalhado para uma empresa e algumas das dicas que forneci para ele compartilharei com você que está na dúvida em adotar tal prática.

 

O primeiro item e principal premissa para implantação do home office é ter como medir a produtividade dessas pessoas que estão fora, premissa que se complementa com uma ferramenta tecnológica que permita o acesso ao trabalho em qualquer lugar.

 

Os itens que devem ser analisados são os seguintes:

 

  • Controle de produtividade efetivo;

  • Home office apenas para as funções que podem ser tratadas fora da empresa;

  • Viabilidade/Redução de Custo (home office fixo); e

  • Perfil dos colaboradores (adaptação).

 

Importante também é analisar os pontos fortes e fracos com essa prática, que são:

 

Pontos Fortes:

  • Ganho de tempo;

  • Economia com locomoção;

  • Melhor rendimento do colaborador, devido a melhor qualidade de vida; e

  • Ter tecnologia a favor com a possibilidade de acesso ao trabalho em qualquer lugar.

 

Pontos Negativos:

  • Falta de relacionamento pessoal com as equipes. A dica é marcar reuniões periódicas para não se perder a sensação de proximidade;

  • Segurança da Informação – ter bem configurada as permissões de acesso fora do escritório e por quem;

  • Não é recomendável para os mais jovens (geração Y);

  • O salário vem na frente – a remuneração é mais importante do que as medidas de flexibilidade.

 

Resumidamente a análise se afunila em três aspectos: Produtividade, Pessoal e Custo.

Se você conseguir medir a produtividade, ter pessoas que se adaptam ao trabalho em casa e o dinheiro economizado com a prática, reflete em bom retorno para sua empresa, faça o teste!

 

No cliente no qual prestei a consultoria, quando medimos a produtividade das pessoas em home office e as pessoas no escritório, os números mostraram uma equiparação, ou seja, com relação a produtividade, ficou igual. Então, para eles restou somente a análise de custo e perfil das pessoas que melhor se adaptam ao home office.