A Dança das polaridades: liderando com equilíbrio

yin yang.jpg

“Tudo é duplo; tudo tem pólos; tudo tem o seu oposto; os opostos são idênticos em natureza, mas diferente em grau.” Este é o quarto princípio das Leis herméticas. Há dois lados em tudo.

“O Gênero está em tudo; tudo tem o seu princípio masculino e feminino; o gênero se manifesta em todos os planos”. Este é o sétimo dos princípios das Leis herméticas.

Isto é certo não somente nos planos físico, mas também nos planos mental e espiritual.

Os dois princípios trazem a dualidade presente em todo o universo, em todas as coisas e em todos nós, seres humanos.

Ambos estão muito conectados com o modelo de liderar baseado no equilíbrio das forças femininas e masculinas. Todos nós temos as duas forças, mas tendemos a navegar apenas pelas características imaturas dos dois pólos: carência, dependência, falta de foco, agressividade, arrogância, violência e outras.

A mente tem o masculino e feminino, e na maioria das vezes é alimentada pelo inconsciente coletivo. Muitas vezes desenvolvemos e alimentamos ideias que não são nossas.

Criamos, chocamos o ovo e fecundamos ideias dos elementos externos, porque não estamos no estado de presença.

Quais pensamentos são realmente seus?

Quais as ideias que você alimentou que são realmente suas?

Você consegue dizer ao mundo a que você veio?

Dizer ao mundo a que viemos só é possível quando criamos a nossa própria identidade, quando somos autênticos, quando somos capazes de fecundar a nossa própria mente.

Muito pouco do que temos é autêntico. Muito pouco comunica ao mundo aquilo que realmente viemos comunicar. Isso é a verdadeira identidade. Isso é transformar e compartilhar com o mundo o seu dom.

Saber navegar entre as duas polaridades, masculinas e femininas, de forma madura, nos dá embasamento para acessar a autenticidade.

Saber dançar conforme a música toca é o ponto de partida para fecundarmos ideias que sejam verdadeiramente nossa.

Mas tudo isso somente é verdadeiro quando estamos presentes.

“Estar presente com presença. Um estado em que não é preciso se promover, temer nem se defender. É quando estamos completamente disponíveis para o momento.” Esta é a definição de presença elaborada por Nilima Bhat e Raj Sisodia, que propõem o equilíbrio das forças masculina e feminina como base da liderança consciente.

O estado de presença é você receber de fato o que é seu. É fecundar as suas ideias. As tomadas de decisões a partir desse espaço de consciência e percepção nos aproxima ainda mais da autenticidade e plenitude. Como? Simplesmente como resultado de aprendermos a nos ouvir.

Ouça os seus sentimentos.

Encare-os de frente.

Sinta-os de verdade.

A conexão com os seus sentimentos os guiarão ao equilíbrio entre as duas forças, masculinas e femininas. Você saberá quando somar as características dos dois pólos de forma madura: empatia, gentileza, inclusão, vulnerabilidade, clareza, assertividade, foco, disciplina e outras.

Esteja presente e sinta o que a situação realmente exige.

Um líder consciente é capaz de mudar de sintonia facilmente de acordo com o que pede a situação.

 

 

Priscylla Spencêr

Especialista em Facilitar Transformações, entusiasta nos assuntos sobre a relação humana e autoconhecimento e especialista em mapear processos e sentimentos.